Escrevinhanças: narrativas de professores e professoras

  • André do Amaral
  • Maria Marta Argolo
  • Patricia Bruschini

O projeto “Escrevinhanças: narrativas de professores e professoras”, é uma proposta para formação processual de educadores/as, que tem na centralidade dos seus objetivos o fortalecimento dos canais de expressão e de comunicação dos sujeitos trabalhadores/as da educação. A partir de um olhar crítico às estruturas hegemônicas e uma visão sensível integradora sobre os sujeitos e coletividades, o projeto toma as diferentes linguagens, corporal, oral e escrita, como ferramentas nos processos de emancipação e empoderamento.

Objetivos:
Desenvolver estratégias e criar condições que potencializem experiências de produção de narrativas de educadores e educadoras sobre suas experiências pessoais e profissionais, autorizando-se aos processos de auto-definição, auto-determinação e empoderamento e integrando-se ao movimento de
produção discursiva sobre a realidade social.

Realização conjunta

  • Ação Educativa
  • Escrevinhanças: narrativas de professores e professoras

Conteúdo programático

Sensível  à crescente necessidade de espaços  que  se organizem como  apoio emocional, político e moral aos sujeitos professores/as, especialmente aos/s que atuam nas redes públicas, o Projeto Escrevinhanças  convida à vivência de produção de narrativas.  Os encontros têm na centralidade de seus objetivos o fortalecimento dos canais de expressão e de comunicação dos sujeitos trabalhadores/as da educação. A partir de um olhar crítico às estruturas hierárquicas e uma visão sensível integradora sobre os sujeitos e coletividades, o projeto toma as diferentes linguagens, corporal, oral e escrita, como ferramentas nos processos de emancipação e empoderamento.
A proposta é tecida a partir da compreensão sobre a urgência de ações de apoio emocional, político e
moral aos sujeitos professores/as, especialmente os/as que atuam nas redes públicas. Se compromete com uma investigação sobre formas, meios para fortalecer os processos de autodefinição e de empoderamento e auto-recuperação,  em busca do  bem viver. São eixos da proposta: o auto-cuidado, a consciência sobre o corpo, sobre a sua história respeito aos saberes tradicionais, e às diferenças. Integram ainda os eixos de formação os temas, conceitos e ferramentas teóricas do pensamento feminista negro e a Pedagogia da Autonomia.

A quem se destina

Professores/as, educadores/as, ativistas, estudantes e outros interessados na temática.

Precisa de bolsa? Clique aqui

Educadoras(es)

  • André do Amaral
  • Maria Marta Argolo
  • Patricia Bruschini