Lésbicas podem engravidar? Aspectos sobre reprodução, heteronormatividade e políticas públicas

  • Paula Galdino C. Carvalho

Esta formação se destina a explorar e divulgar aspectos relacionados à saúde integral de mulheres
lésbicas, incluindo a sexualidade, métodos de concepção, e a existência de políticas públicas e
legislação nacional pertinentes ao assunto.

Durante a oficina serão destacados os desafios que mulheres lésbicas podem encontrar ao procurarem o sistema de saúde para consultas ginecológicas, concepção e assistência ao parto, como heteronormatividade e privação de direitos e quais são estratégias possíveis de enfrentamento.

O crescente conservadorismo político e a diminuição de investimento na saúde pública são fatores que afetam diretamente a saúde sexual e reprodutiva das mulheres, além de representar possibilidade real de perda de direitos. A discussão sobre a concepção e assistência ao parto para as
mulheres lésbicas e para profissionais de saúde e de gestores são alguns dos aspectos que contribuem para o desenvolvimento de um sistema de saúde que seja realmente universal, integral e equânime.

A quem se destina

Mulheres lésbicas e bissexuais; profissionais da saúde,  professores/as, estudantes e público geral.

Precisa de bolsa? Clique aqui

Educadoras(es)

  • Paula Galdino C. Carvalho