MULHEReverbera: vida, fala, escrita

  • Alê Almeida

Representado mais da metade da população brasileira, as mulheres, em especial as de classes populares, seguem com seus locais de fala invisibilizados. Como resultados possíveis, perdemos a narrativa de suas vidas, a troca de saberes, a problematização dos fatos sociais, a leitura de seus medos, desejos e estratégias de sobrevivência.

A oficina de oratória e produção de texto tem como objetivo estimular e fortalecer a experiência da fala em público, valorizando as histórias de vida das participantes, assim como a (re)significação dos contextos sociopolíticos.

Objetivos:

1. Estimular a fala argumentativa em público;
2. Compartilhamento de experiências e identificação de aspectos em comum;
3. Tratamento da história de vida como resultado da formação nacional e como componente da dinâmica social; e
4. Identificação/eleição de dados das experiências vividas a serem transformadas em roteiros de fala em público e textos a serem publicados e/ou apresentados.

Conteúdo programático

 

1º Encontro – 25/05
• O quê estamos fazendo aqui? (apresentação da oficina);
• O quê estou fazendo aqui? (apresentação de cada participante); e
• Minha multiplicidade (raça, classe, orientação sexual, ocupação, ativismo, família etc.).

 

2º Encontro – 01/06
• Memória contata (cada participante contará sua história de vida);
• Roda-gira (identificação dos pontos em comum entre as histórias); e
• Eu parte, eu todo (identificação das experiências de vida com o contexto nacional, decisões e não decisões políticas, econômicas e sociais).

 

3º Encontro – 08/06
• Memória em ação (cada participante recontará a sua história problematizada com a realidade brasileira: causas e consequências); e
• Vida que fala, fala que escreve (balanço do encontro, identificação de estratégias de enfrentamento).

A quem se destina

Mulheres CIS e Trans de classes populares

Educadoras(es)

  • Alê Almeida