TERÇAS-INSURGENTES: Hannah Arendt

  • Crislei de Oliveira Custódio

Insurgente

adjetivo e substantivo de dois gêneros
1. que ou aquele que se insurge, se rebela contra algo.

Onde existe dominação e violência, existe insurgência, aquilo que se rebela, que se afirma e que encontra seu caminho pelas brechas e contradições do sistema. Diante do contexto político e social adverso que atualmente vivemos no Brasil, precisamos alimentar pensamentos potentes em vida, esperança e, por que não, em insurgência?

Nas terças-insurgentes de maio, apresentamos as teorias emancipatórias de Hannah Arendt através da voz da especialista, e doutora em educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, Crislei de Oliveira Custódio.

Essa formação pretende esquadrinhar o modo como Hannah Arendt desenvolve de forma peculiar um arcabouço teórico indispensável para a compreensão das relações na modernidade, ao pensar a ascensão da esfera social e a vitória do animal laborans como características do mundo moderno em que os ditames do consumo e da produção, a negação da política como forma humana de tratar os assuntos que concernem a todos e sua substituição pela lógica da burocracia e da administração estatal, assim como a alienação do mundo e a recusa do pensar e do julgar são marcas do contemporâneo.

Numa perspectiva panorâmica, mas que visa oferecer instrumentos analíticos para a apreensão e tentativa de compreensão de parte dos fenômenos políticos atuais, o curso perpassa e seleciona obras importantes da autora que vão dos seus escritos políticos àqueles que dizem respeito às atividades do espírito, encerrando com uma ampla discussão acerca das aporias do educar em tempos sombrios e em um mundo deserto.

Conteúdo programático

1ª Terça-insurgente – AÇÃO E NEGAÇÃO DA POLÍTICA – 07/05

Aula expositiva dialogada sobre o conceito de ação em Hannah Arendt e contextualização a partir da discussão acerca do momento atual, marcado por uma atitude de apolitia ou negação da política no contexto social.

ARENDT, Hannah. A dignidade da política. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

______. A promessa da política. Rio de Janeiro: Difel, 2008.

______. A condição humana. Revisão de Adriano Correia. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

 

2ª Terça-insurgente – ORIGENS DO TOTALITARISMO: IDEOLOGIA E TERROR – 14/05

Aula expositiva dialogada sobre a noção de totalitarismo em Arendt e aprofundamento da compreensão dos conceitos de ideologia e terror com base na seleção de excertos da obra da autora, bem como a partir da análise de produções audiovisuais que dialoguem com a temática.

ARENDT, Hannah. Responsabilidade e julgamento. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

______. Origens do totalitarismo. Tradução de Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

 

3ª Terça-insurgente – BANALIDADE DO MAL E O PENSAMENTO EM TEMPOS SOMBRIOS – 21/05

Aula expositiva dialogada sobre o conceito de moralidade, pensamento e juízo em Arendt para a compreensão da ideia de banalidade do mal. Neste encontro serão exibidos alguns trechos do filme “Hannah Arendt” que ajudam a entender o contexto do julgamento de Adolf Eichmann, experiência a partir da qual a autora cunhou a ideia de banalidade do mal.

ARENDT, Hannah. Responsabilidade e julgamento. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

______. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

            . Compreensão e política (As dificuldades da compreensão). In: Compreender: formação, exílio e totalitarismo (ensaios). São Paulo: Companhia das Letras; Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008b. p. 330-346.

 

4ª Terça-insurgente – EDUCAÇÃO E MUNDO COMUM: DEITAR RAÍZES NO DESERTO? – 28/05

Aula expositiva dialogada sobre o texto “A crise na educação” que, sob o aporte das eventos e notícias atuais sobre a temática educacional, visa debater os dilemas e aporias do ato de educar em tempos sombrios.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. São Paulo: Perspectiva, 2003.

______. O pensar. In: A vida do espírito. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008a. p. 17-260.

A quem se destina

Estudantes de cursos de graduação e pós-graduação, professoras(es) da rede pública e particular, educadoras(es) sociais e pessoas interessadas nas teorias e pensamentos de Hannah Arendt.

Precisa de bolsa? Clique aqui

Educadoras(es)

  • Crislei de Oliveira Custódio