TERÇAS-INSURGENTES: Milton Santos

  • Billy Malachias

Milton Santos: cidadão brasileiro, intelectual do mundo.

Sem sombra de dúvidas, Milton Santos, está entre os intelectuais brasileiros mais eminentes do século XX. Sua vasta obra se destaca tanto pelo apreço e rigor ao método como pela formulação de conceitos interpretativos da realidade de diversos países do chamado terceiro mundo e, mais particularmente, interpretativos da realidade brasileira. O pensamento crítico deste intelectual negro e pensador do mundo é neste curso o ponto de partida para ampliação do entendimento da relação entre espaço geográfico e relações raciais no atual período histórico, denominado pelo ilustre geógrafo, como popular da história. Busca-se em quatro encontros introduzir ao sistema de ideias elaboradas pelo autor e apresentar possibilidades de utilização desse sofisticado pensamento em estudos acadêmicos, ação de coletivos e de organizações da sociedade civil, bem como, para elaboração de práticas educativas escolares, orientadas para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afrobrasileira. Com abordagem dialógica e utilizando-se de recursos audiovisuais, a formação debate conceitos caros à Geografia, como lugar, território, territorialidades, que se constituem em fronteiras conceituais de diálogo entre esta disciplinas e outras, tais como antropologia, história, pedagogia, psicologia, sociologia, economia, direito que empregam esses conceitos adjetivados pelo substantivo negro: lugar de negro; territorialidades negras; território negro; geografia do racismo e outras adjetivações quando tecem explicações e análises sobre a temática das relações étnico-raciais e do racismo brasileiro.

Conteúdo programático

I Encontro – A emergência e a insurgência de um pensador crítico: do regional ao global, ideias em movimento.

Este primeiro encontro busca apresentar uma cronologia da obra de Milton Santos, conferindo destaque aos momentos de ruptura conceituais e teórica e consequentemente o de emergência de uma interpretação terceiro mundista do Brasil.

II Encontro – Do cidadão imperfeito ao consumidor mais que perfeito.

Este segundo encontro tem como base de debate o livro Espaço do Cidadão, em que Milton Santos, reflete a cidadania brasileira por um ângulo espacial e geográfico. A partir de alguns artigos e ensaios contidos no livro debateremos a relação atualíssima entre o valor do indivíduo e o seu local de moradia. Para Milton Santos, cidadania, consumo e espaço geográfico constituem-se em categorias de análise a luz do processo de redemocratização brasileira ocorrido na década de 1980.

III Encontro – Rangendo os dentes: ser negro no Brasil de hoje.

Através de alguns artigos publicados este terceiro encontro busca interpretar impressões de Milton Santos, sobre a questão negra no Brasil e as possibilidades que vislumbrava para analisá-las e entendê-las a partir do espaço geográfico.

IV Encontro – Globalização e o período popular da história: o mundo como fábula, perversidade e possibilidade.

O quarto e último encontro busca apresentar as várias facetas da globalização no período popular da história, marcado pelos embates entre horizontalidades, domínio de um cotidiano territorialmente e popularmente compartilhado e muitas vezes insurgente versus as verticalidades, vetores de racionalidade e de um discurso pragmático criador de um cotidiano obediente, seletivo e excludente.

A quem se destina

Interessadas(os) em geral, educadoras(es), pesquisadoras(es), ativistas.

 

Educadoras(es)

  • Billy Malachias