Corpos dissonantes: a escrita como emancipação dos padrões de beleza

A partir do conceito construído pela doutora em linguística, Ana Lucia Silva Souza, de letramentos de reexistência, a proposta da oficina é retomar a diversidade das práticas letradas como estratégias de luta, resistência e emancipação. Trilharemos caminhos que desvelem o universo da escrita criativa e sua relação com corpos dissonantes, em especial gordos e pretos.

Realização conjunta

  • Ação Educativa

A quem se destina

Jovens, mulheres negras, ativistas, educadoras(es) populares e jornalistas.

Educadoras(es)

  • Ana Paula Maia
  • Ednéia Gonçalves
  • Juliane Cintra